CARREGANDO

Digite o artigo que você procura

A própria casa foi principal local de casos de violência contra comunidade LGBT

maximweb 2 semanas ago

De acordo com relatório divulgado pelo Centro de Referência LGBT Janaína Dutra, a violência doméstica foi responsável por 45% dos casos reportados.

No mês de julho, o local retomou os atendimentos presenciais (Foto: Kiko Silva/Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual)

De acordo com o Relatório Anual de Atividades e Perfil da População LGBT 2020, produzido pelo Centro de Referência LGBT Janaína Dutra, 45% dos casos de violência reportados aconteceu no ambiente doméstico e 43% dos autores da violência reportada faziam parte do convívio íntimo da vítima. Em 2019, esses índices eram de 26% e 30%, respectivamente.

Abaixo do ambiente doméstico, dentre os locais de ocorrência dessas violências, estão o ambiente de trabalho (17%), seguido da rua/local público (12%). A violência psicológica e moral foi o segundo maior motivo de procura por ajuda no Centro, com 19%. Assim como em 2019, o principal motivo da busca pelo equipamento foi a mudança do prenome e retificação dos documentos (39%).

De acordo com Dediane Souza, titular da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual, ligada à Secretaria dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS), esse aumento se deu, principalmente, por conta do período da pandemia, quando Fortaleza passou a adotar medidas restritivas de isolamento social, tendo como efeito provável uma maior exposição da população LGBT a relações e espaços doméstico-familiares violentos.

O Centro de Referência LGBT Janaína Dutra voltou a realizar atendimentos presenciais a partir deste mês de julho. Até junho, as atividades do local estavam funcionando parcialmente, com equipe reduzida. No dia 28 de junho, manifestantes ocuparam o prédio reivindicando a retomada das atividades do Centro, que estavam em déficit desde a transição de gestão municipal. No dia seguinte, os manifestantes se reuniram com o prefeito José Sarto (PDT), que se comprometeu a retomar o funcionamento do Centro em sua integralidade e também a executar o orçamento previsto em 2021 para as políticas públicas voltadas a essa população.

Para o coordenador do Centro de Referência, Tel Cândido, a pandemia agravou os problemas sociais já enfrentados por essa população, como a solidão, a dificuldade de acesso à renda, às políticas públicas e, de modo alarmante, a exposição intensiva a relações domésticas e familiares violentas.

“É pertinente destacar que, a despeito da susceptibilidade universal às formas de transmissão do vírus, o acesso às estratégias de prevenção e os impactos dessa crise não são universais, mas são singularmente experimentados por diferentes grupos sociais. No caso das populações LGBTI brasileiras, a pandemia vem agravando problemas sociais já enfrentados cotidianamente, o que ratifica a permanência do Centro de Referência no rol de serviços essenciais para a Cidade”, afirma o coordenador.

Serviço

Centro de Referência Janaína Dutra
Funcionamento: segunda a sexta-feira
Horário: 8h às 12h e 13h às 17h
Endereço: rua Guilherme Rocha, 1469 – Jacarecanga
Telefone: 3452-2047

 

 

 

 

 

 

Fonte: OPovo

Tags:

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *