CARREGANDO

Digite o artigo que você procura

Caso Amanda Albach: jovem enviou áudio para família antes de ser morta em Santa Catarina

maximweb 1 mês ago

Depois de gravar e mandar a mensagem de voz, Amanda Albach teria sido obrigada a cavar a própria cova, de acordo com a Polícia Civil catarinense.

 

Segundo as investigações, um dos suspeitos preso pelo crime falou que a promotora de vendas foi morta com dois disparos de arma de fogo, em 15 de novembro

 

A promotora de vendas Amanda Albach, de 21 anos, encontrada morta em Santa Catarina, na semana passada, enviou um áudio para a família antes de ser assassinada em Laguna, no Sul do Estado, na manhã da última sexta-feira (6).

Na ocasião, a jovem afirmou que voltaria para o Paraná, onde morava em um carro que conseguiu solicitar em um aplicativo de transportes.

“Oi! Eu estou indo embora. Consegui o Uber hoje só para eu ir embora. Já estou indo. De madrugada eu chego”, disse.

Depois de gravar e mandar a mensagem de voz, Amanda Albach teria sido obrigada a cavar a própria cova, de acordo com a Polícia Civil catarinense.

TIROS

Segundo as investigações, um dos suspeitos preso pelo crime falou que a promotora de vendas foi morta com dois disparos de arma de fogo, em 15 de novembro.

Três pessoas, uma delas amiga da vítima, foram presas na última quinta-feira (2) suspeitas de envolvimento na ação criminosa. Amanda Albach tinha uma filha de dois anos.

Conforme a apuração feita pelos agentes, a jovem já estava com um suspeito no local onde foi assassinada quando mandou o áudio para a família. O envolvimento dos outros dois suspeitos no crime não foi revelado pelos investigadores.

ENTENDA O CASO

A promotora de vendas desapareceu depois de passar o feriado da Proclamação da República no litoral, comemorado em 15 de novembro, no litoral catarinense. O desaparecimento foi relatado à Polícia Civil no dia 19 daquele mês.

Ela, que estava acompanhada de dois amigos, ficou desaparecida durante 18 dias. Amanda Albach foi ao Estado comemorar o aniversário de uma amiga, presa suspeita de envolvimento na ação criminosa.

O delegado responsável pelo caso explicou que “a investigação aponta que Amanda viu uma arma de um desses investigados, bateu uma foto e encaminhou a terceiros”.

“Essa pessoa se descontentou e decidiu dar fim à vida dela porque sentiu que corria algum risco de ser denunciado”, informou.

REDES SOCIAIS 

A última publicação da jovem nas redes sociais foi em 13 de novembro. Ela postou uma foto na Praia do Canto, em Imbituba, no Sul de Santa Catarina.

O corpo dela foi sepultado em Fazenda Rio Grande, Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná, na manhã do último domingo (5).

 

 

Fonte: Diário do Nordeste

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *