CARREGANDO

Digite o artigo que você procura

Em Sobral, hospital amplia atendimento às doenças respiratórias

maximweb 2 anos ago

O Hospital Regional Norte (HRN), referência em casos de média e alta complexidades, passa a ser a primeira unidade de saúde do interior do Estado a imunizar crianças com doenças crônicas

O atendimento com a nova medicação se estenderá até o mês de julho deste ano

Referência no atendimento a casos de média e alta complexidades no Ceará, o Hospital Regional Norte (HRN), instalado em Sobral, foi construído para atender pacientes dos 55 municípios que integram a Zona Norte, cuja população chega a 1,6 milhão de pessoas.

Com capacidade operacional de 430 leitos de observação e internação, o HRN realiza atendimento ambulatorial em várias especialidades, além de exames de imagem como tomografia, ressonância e radiografia. No hospital também funciona o Centro de Apoio à Saúde Reprodutiva da Mulher (CASRM).

A unidade é classificada como “Acreditado Pleno Nível 2”, de acordo com a Organização Nacional de Acreditação (ONA), o que credencia o hospital a desenvolver projetos importantes elaborados pelo Ministério da Saúde. Ao longo de seis anos de atuação, cerca de 300 mil pacientes deram entrada nas emergências o hospital.

Imunização

Apostando cada vez mais na prevenção, o hospital passou a contar, a partir dessa segunda-feira (18), com uma novidade importante no combate às doenças respiratórias:está imunizando crianças com doenças crônicas.

Na fila de espera do ambulatório, o pequeno Cauã, de um ano e seis meses, aguardava, nos braços da mãe, por atendimento. A criança nasceu com uma hérnia no diafragma, o que ocasionou uma certa pressão sobre o pulmão, prejudicando o desenvolvimento do órgão. Em decorrência disso, Cauã passou por uma cirurgia, logo no terceiro dia de vida.

Quase dois anos depois, a criança segue com uma saúde frágil no que se refere às questões respiratórias, segundo sua mãe. A boa notícia é que Cauã é uma das primeiras crianças selecionadas para iniciar o tratamento com Palivizumabe, medicamento disponibilizado pelo Governo do Estado, indicado para aumentar a proteção de crianças com doenças crônicas, como no caso de infecção pelo Vírus Sincicial Respiratório (VSR), responsável pela maioria dos casos de infecções do trato respiratório inferior em bebês e comum nos países tropicais em tempos chuvosos. O Hospital é o primeiro do Sistema Único de Saúde (SUS), no interior do Ceará.

Atendimento

De acordo com a mãe de Cauã, Clécia Alves do Nascimento, 36, nesse período do ano, o bebê tem sofrido com gripes e cansaço constante. “Ele vai precisar de cinco doses da medicação, uma por mês. Isso me deixa mais tranquila. Sou moradora de Massapê, e ter que ir a Fortaleza para iniciar um tratamento gera muito custo. Aqui é bem mais cômodo e rápido”, elogia.

De acordo com o protocolo do Ministério da Saúde, o grupo prioritário para esse tipo de atendimento é formado por bebês prematuros, nascidos com menos de 29 semanas e menores de um ano de idade, além de crianças de até dois anos com doença pulmonar crônica ou cardíaca congênita, com repercussão hemodinâmica (relacionado à circulação sanguínea).

Casos

A dose é aplicada conforme o peso do paciente. O medicamento é um anticorpo para as gripes, pneumonias e bronquiolite aguda (inflamação dos bronquíolos), que acometem muitas crianças no período chuvoso, propício a essas doenças, o que pode gerar muitos casos de internação.

O atendimento é feito tanto para pacientes prematuros que passaram pelo HRN ou outro hospital da região, quanto para os que ainda se encontram internados.

“Vale ressaltar que o medicamento é indicado pelo profissional de saúde que acompanha a criança. É uma medida preventiva”, destaca a coordenadora da Neonatologia do HRN, Maria Cristiane Soares de Lemos.

Entre os meses de janeiro e julho, complementa ela, “chegamos a aumentar em cerca de 30% o atendimento de casos relacionados às doenças respiratórias. No caso das crianças prematuras ou que já têm algum problema cardíaco ou pulmonar, a gripe é bastante agressiva, o que pode gerar internações, inclusive em UTIs”, lembra. A medicação vai auxiliar a diminuir esses casos.

Acompanhamento

Aos 11 meses de vida, José Henrique também foi atendido no ambulatório do HRN. O bebê, nascido na Santa Casa de Sobral com 24 semanas, apresentou bronquidispasia, um distúrbio pulmonar crônico decorrente de lesões repetitivas do pulmão, o que ocorre com frequência em bebês muito prematuros, com doença pulmonar grave, com necessidade de ventilação ou com alvéolos pouco desenvolvidos nos pulmões.

“No caso dele, foram mais de 28 dias utilizando aparelho respiratório”, explica a mãe, Pollyanna da Costa, moradora de Acaraú. “Aqui é bem mais fácil receber a vacina, com o acompanhamento da pediatra dele. Fiquei feliz pela chamada do próprio hospital para iniciar o tratamento”, diz.

Fonte: Diario do Nordeste

 

Tags:

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *