CARREGANDO

Digite o artigo que você procura

Governo Federal nega ajuda humanitária da Argentina às vítimas das chuvas na Bahia

maximweb 8 meses ago

O país pretendia enviar imediatamente ao estado nordestino uma missão com profissionais especializados.

 

O Ceará e mais 15 estados, além do Distrito Federal, anunciaram envio de ajuda para as cidades afetadas

 

Governo Federal, através do Ministério das Relações Exteriores, não autorizou que a Argentina enviasse ajuda humanitária para auxiliar as mais de 629 mil vítimas das enchentes que atingiram a Bahia. Segundo o  Governo do Estado, a União comunicou sobre a negativa nessa quarta-feira (29).

O país vizinho pretendia enviar imediatamente ao estado nordestino uma missão com profissionais especializados nas áreas de água, saneamento, logística e apoio psicossocial para vítimas de desastres.

Conforme o governo baiano, o Brasil agradeceu a proposta do país vizinho e informou que a situação na Bahia “está sendo enfrentada com a mobilização interna de todos os recursos financeiros e de pessoal necessários”.

O Ministério das Relações Exteriores ainda afirmou que “na hipótese de agravamento da situação, requerendo-se necessidades suplementares de assistência, o Governo brasileiro poderá vir a aceitar a oferta argentina de apoio da Comissão dos Capacetes Brancos, cujos trabalhos são amplamente reconhecidos”.

Antes da negativa, o governador Rui Costa (PT) chegou a agradecer a oferta de ajuda humanitária nas redes sociais e solicitou celeridade ao Governo Federal para autorizar a missão internacional.

Ceará e mais 15 estados, além do Distrito Federal, anunciaram envio de ajuda para as cidades afetadas.

Inundações, alagamentos, deslizamentos de terra e caos foram registrados nos últimos dias na federação, principalmente na região Sul. As fortes chuvas causaram a morte de 24 pessoas, além de deixar centenas de feridos e milhares de desabrigados, segundo dados da Superintendência de Proteção e Defesa Civil do estado (Sudec).

 

 

Fonte: Diário do Nordeste

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *