CARREGANDO

Digite o artigo que você procura

Ipespe: Lula consolida liderança e distância para Bolsonaro é de 13 pontos

maximweb 3 semanas ago

A pesquisa revela, ainda, que o ex-presidente venceria todos os adversários no segundo turno

A primeira pesquisa Ipespe de maio, divulgada nesta sexta-feira 6, mostra que o cenário pouco se alterou desde o  levantamento anterior do instituto, feito em abril.

O ex-presidente Lula (PT), apesar da oscilação de um ponto percentual a menos, segue na liderança da disputa com 44% das intenções de voto. O presidente Jair Bolsonaro (PL) registrou 31%.

Na sequência, aparecem Ciro Gomes (PDT) com 8%, João Doria (PSDB) com 3%, e André Janones (Avante) com 2%. Simone Tebet (MDB) oscilou de 2% para 1% e Luiz Felipe d’Ávila (Novo) marcou 1%. Outros candidatos não chegaram a 1%.

Para os resultados, o Ipespe realizou 1.000 entrevistas de abrangência nacional, nos dias 2, 3 e 4 de maio.  A margem de erro máxima é de 3,2 pontos percentuais.

De acordo com o instituto, as oscilações coincidem com a continuidade da melhora da avaliação de Bolsonaro. “O índice de ótimo e bom atingiu 31% ante 30% na última pesquisa, uma tendência de crescimento que segue desde janeiro, quando as avaliações positivas eram 24%. As avaliações negativas restaram estáveis, em 52%”, diz o comunicado.

“Outro indicador positivo para Bolsonaro é a redução gradual no índice dos que dizem não votar nele “de jeito nenhum”. Esse percentual passa de 64% em janeiro para 60% agora. No caso de Lula, essa rejeição atinge 43%, um ponto a mais que no levantamento anterior, mas fica estável em relação ao começo do ano”, acrescenta.

Cenários para o segundo turno

A pesquisa revela, ainda, que Lula venceria todos os adversários no segundo turno. Contra Bolsonaro, o petista teria 54% e o atual presidente ficaria com 34%.

Se o adversário fosse Ciro Gomes, o ex-presidente derrotaria o pedetista por 52% x 25%. O tucano João Doria alcançaria 23% dos votos e Lula venceria com 55%.

 

 

Fotos: Ricardo Stuckert e EVARISTO SA / AFP

 

 

 

Fonte: CartaCapital

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *