CARREGANDO

Digite o artigo que você procura

Mãe ucraniana escreve dados pessoais nas costas da filha temendo perder criança na guerra

maximweb 2 meses ago

Medida foi tomada como prevenção após Rússia invadir a Ucrânia, em fevereiro.

 

Os sons das sirenes ecoando em Kiev marcaram o início de um conflito que modificou as relações entre os países do leste europeu e trouxe repercussões pelo mundo. Com medo de perder a filha, uma mãe ucraniana escreveu seus dados pessoais nas costas da criança após a Rússia invadir o País, no dia 24 de fevereiro.

Em postagem publicada em suas redes sociais, na última quinta-feira (31), a ucraniana Aleksandra Makoviy compartilhou a imagem das costas da filha e lamentou as perdas causadas pela guerra. “Dói ir para a galeria de fotos. Há uma vida tão maravilhosa que tivemos”.

Ao compartilhar a imagem da menina com os dados pessoais escritos nas costas, a mãe, também chamada de Sasha, explicou que a imagem mostra o retorno da criança no primeiro dia de guerra. “Assinei com as mãos tremendo muito”.

Mas por que te contar? Você já sabe como é acordar com os sons ensurdecedores e poderosos de explosões que podem ser ouvidas por dezenas de quilômetros. Eu estava tremendo nas primeiras horas como você.

ALEKSANDRA MAKOVIY
Ucraniana

O diálogo foi travado com seus seguidores, inclusive às pessoas que, assim como ela, precisaram deixar suas casas para sobreviver.

Ao todo, já são mais de 3,48 milhões de refugiados da Ucrânia, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU).

TEMORES NA GUERRA

Sasha encontrou refúgio na França, mas, apesar de estar em um lugar seguro, relata ainda não ter conseguido tirar o cartão com seus dados do bolso da roupa da filha.

O receio era tanto que Sasha considerou tatuar a criança caso alguém a encontrasse como sobrevivente, longe da mãe.

“Segundo minha lógica, só poderia acontecer quando eu estivesse desconectada. Então, até mesmo um pensamento louco passou pela minha mente ‘por que eu não tatuei ela com essa informação?'”

REPERCUSSÃO DO CASO

Após compartilhar relato, Sasha recebeu mensagens oferecendo ajuda e perguntando como estavam. Emocionada, a mãe agradeceu pela atenção, explicando que já receberam moradia e foram “totalmente atendidas”.

“Quero informar que Vera e eu estamos absolutamente seguras. Fomos para o exterior e estamos no sul da França Fomos recebidas por voluntários”.

SASHA MAKOVIY
Artista ucraniana

O agradecimento também foi estendido para os voluntários da França e todas as pessoas que ajudaram os ucranianos a cruzar a fronteira. “Sou especialmente grata à Polônia. O que o país fez pelos ucranianos é inestimável. Sem a ajuda deles, não teríamos sobrevivido”, concluiu.

 

 

Informações foram escritas em meio ao medo de perder a filha durante a guerra

 

 

 

Fonte: Diário do Nordeste

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *