CARREGANDO

Digite o artigo que você procura

Segundo a Polícia, Francisca Valeska Pereira, conhecida como “Majestade”, era membro de “alta relevância” da organização

 

Os agentes cearenses percorreram mais de 4 mil quilômetros para capturar a mulher

 

Uma integrante, classificada pela Polícia como de “alta relevância”, de uma organização criminosa com atuação no Ceará foi presa em Gramado, Rio Grande do Sul, na última quinta-feira (26), em uma operação da Polícia Civil cearense. Francisca Valeska Pereira Monteiro, de 27 anos, era conhecida como “Majestade” e estava de férias na cidade gaúcha.

A mulher é suspeita de ser responsável pelo controle financeiro e pela distribuição de territórios para a venda de entorpecentes ilegais da facção criminosa. Segundo a Polícia, ela respondia ao líder da organização, preso em ação conjunta das polícias civis dos estados do Pará e do Ceará.

“Ela atuava como braço financeiro desse grupo criminoso no estado do Ceará. Ela era operadora financeira das atividades e dos recursos que eram angariados com atividade criminosa”, detalhou o delegado geral adjunto da Polícia Civil, Márcio Gutiérrez, em coletiva nesta terça-feira (31). 

Conforme as investigações, enquanto os membros da organização disputavam território para comercialização de drogas com outras facções, Francisca Valeska usufruía de um período de férias da função, “conhecendo pontos turísticos”. No interrogatório, ela relatou que além da cidade gaúcha também viajou para o Rio Grande do Norte e para o Rio de Janeiro.

Os agentes cearenses percorreram mais de 4 mil quilômetros para capturar Francisca Valeska, que possuía um mandado de prisão preventiva em aberto no Estado. Ela é condenada pelos crimes de roubo, associação criminosa, crime contra a fé pública e tráfico de drogas.

Segundo o delegado titular da Delegacia de Combate às Ações Criminosas Organizadas (Draco), Klever Farias, ela era monitorada pela Polícia Civil desde 2020, quando os investigadores verificaram a ligação dela com o crime organizado. Nesse período, conforme o comissário, ela era monitorada por tornozeleira eletrônica, mas rompeu o equipamento duas vezes.

“Com esse rompimento foi intensificado os trabalhos de localizar o novo local que ela poderia estar. Logo em seguida, conseguimos identificar que ela estava no estado do Rio de Janeiro. Até que na segunda-feira (23) passada, foi verificado que ela teria ido para a cidade de Gramado”, relatou o titular da Draco. 

No momento da prisão, Francisca Valeska tentou resistir, o que motivou os agentes cearenses a solicitarem reforços da Polícia Civil do RS. Após a captura, ela foi encaminhada para a Delegacia de Gramado. Com ela, foram apreendidos dois aparelhos celulares que devem passar por perícia.

 

 

 

 

Fonte: Diário do Nordeste

Tags:

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *