CARREGANDO

Digite o artigo que você procura

Segundo a Polícia Federal, investigações apontaram que o homem mantinha contato direto com radicais islâmicos

Os mandados de prisão temporária e busca e apreensão, foram expedidos pela Justiça Federal da Seção Judiciária de Maringá. Foram apreendidos uma espingarda calibre 32 e muitos simulacros de arma

 

Um suposto professor de música foi preso, nesta quinta-feira (2), por suspeita de planejar ataques terroristas ligados a “radicais islâmicos no Exterior”, em Maringá, no Paraná. A identidade do suspeito não foi divulgada.

Investigações da Polícia Federal (PF) apontaram que ele mantinha contato direto com radicais islâmicos no Exterior.

“Manifestando a intenção de viajar para outros países como Iraque, e incorporar-se a organizações terroristas”, informou a PF. 

O suspeito foi preso no âmbito da “Operação Trastejo”, realizada conforme previsão da Lei de Enfrentamento ao Terrorismo.

O investigado divulgava ser professor de música por meio das redes sociais. Por esse motivo, o nome da operação faz referência a um defeito no braço do instrumento de corda que provoca problemas na emissão do som.

MANDADO DE PRISÃO 

Após o mandado de prisão temporária e de busca e apreensão ser autorizado pela Justiça Federal de Maringá, foram encontradas, na casa do homem, uma espingarda calibre 32 e simulacros de armas.

SUSPEITO DISSEMINAVA CONTEÚDO TERRORISTA

Em nota, a Polícia Federal informou que o suspeito gravou e repassou vídeos com conteúdo extremista.

“O investigado circulou vídeos em grupos, na internet, em que, encapuzado, exibia armas, munição, rádio comunicador, cédulas de dólares americanos, dentre outros itens, proferindo conteúdo extremista e manifestando desejo de executar mortes de inocentes em uma ação suicida”, disse a PF.

A PF acrescentou, ainda, que ele possuía treinamento para o uso de armas, “podendo a qualquer momento ou oportunidade fechar o ciclo para a consumação de ato terrorista”.

FICHA CRIMINAL 

O homem já havia sido condenado por posse irregular de arma de fogo e tentativa de roubo, além de responder por tentativa de homicídio e posse de droga.

As penas para os crimes de terrorismo podem chegar a 30 anos de reclusão.

 

 

 

 

Fonte: Diário do Nordeste

Tags:

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *